Ir para conteúdo

Blog

Oficina de Avaliação Econômica em Mogi das Cruzes

24 de Abril de 2014 • Fundação Itaú Social • 0 Comentários

A Fundação Itaú Social, com o apoio da ONG Feag (Federação das Entidades Assistenciais Guaçuanas), realizou gratuitamente a Oficina de Avaliação Econômica para 27 alunos na sede da Associação de Comércio e Indústria de Mogi Guaçu. Os participantes aprenderam, por meio de aulas práticas e teóricas, sobre avaliação de impacto e retorno econômico de projetos sociais.

Foi realizada na última quinta-feira, 24 de abril, na sede da Acimg, a Oficina de Avaliação de Projetos Sociais, ministrada pelo professor Alan André Borges da Costa, patrocinada pela Fundação Itaú Social. A oficina foi realizada de forma gratuita intercalando aulas teóricas e práticas, que permitiram aos participantes ter contato com os principais conceitos e instrumentos necessários para a realização de uma avaliação de impacto e para o cálculo do retorno econômico. Representantes de diversos municípios participaram, totalizando uma turma de 27 alunos, que receberam material de apoio elaborado pela Fundação Itaú Social.

A oficina, que teve duração de oito horas, é voltada para gestores e técnicos de ONGs, do poder público e de institutos de pesquisa e outros públicos, que gerenciam projetos, mas não dispõem de tempo para realizar o curso de Avaliação Econômica de Projetos Sociais já oferecido pela Fundação, explica Alan, mestre em economia pela Universidade Federal de Minas Gerais e um dos responsáveis pelo conteúdo pedagógico apresentado. “Apresentamos os pontos fundamentais para se desenhar uma boa avaliação, como a definição clara do público alvo, dos objetivos do projeto que será avaliado, quais indicadores serão utilizados, como será montado o grupo controle, além de outras ferramentas que vão ajudar a identificar o impacto do projeto na comunidade e o seu retorno econômico. Com essas informações, os gestores começam a entender um pouco melhor a estrutura da avaliação e importância da sua prática”, declarou.

Segundo Alan Costa, a oficina foi desenvolvida com o intuito de despertar o interesse nos gestores pela avaliação. “Muitas vezes eles querem aprimorar os projetos, mas não sabem muito bem como começar. A partir dos materiais apresentados na formação eles percebem de que forma a avaliação pode ajudá-los a ter uma visão mais ampla do trabalho da organização e como as ferramentas avaliativas podem ajudar a refinar o que vem fazendo”, disse.

Aline Muraoka, gestora financeira, da cidade de Paulínia, uma das participantes da oficina, comenta que a oficina foi bem legal e interessante. “Estou achando esse evento excelente, porque nós trabalhamos com projetos sociais, e temos o hábito de fazer o plano de trabalho, mas nunca com essa visão de avaliar o projeto. Quando você monta um projeto, sabemos que tem que ter o público, qual será o resultado, mas não avaliamos o contexto mercadológico do projeto. Então aprendi bastante hoje. Achei bem bacana, diferente do que eu imaginava de como seria”, elogia.

Cleusa Aparecida Alves de Azevedo Cunha, analista de Recursos Humanos da Tenneco Automotive Brasil, de Mogi Mirim, disse que esse curso está sendo muito importante, pois obteve novos conhecimentos. “Espero sair daqui com várias ideias novas, para ter uma base do que é hoje a sensação econômica de responsabilidade social. Como estou há pouco tempo trabalhando na área de responsabilidade social da empresa, então esse curso me atraiu para que eu aprenda um pouco mais sobre esse tema”, afirma Cleusa.

Tássia Siqueira Faria, consultora da FEAG, explica que a Fundação Itaú Social tem uma linha de trabalho que vai de encontro ao que a FEAG busca. “Então tivemos a ideia de trazer essa oficina da Itaú Social para mostrar novos conceitos, novas ferramentas, modelos de sucesso. Isso foi muito gratificante”, finaliza Tássia.

 

Veja também

Oficina com alunos e ex-alunos do curso de Avaliação Econômica de Projetos Sociais

Deixe um comentário


Comentários (0)

Deixe um comentário