Ir para conteúdo

Blog

Educação Integral: dicas para formulação de programas e políticas públicas

22 de Julho de 2015 • Fundação Itaú Social • 0 Comentários

A Educação Integral se constitui numa grande oportunidade para ampliação da aprendizagem de crianças e adolescentes com a formação do indivíduo nas dimensões afetiva, físico, ético e intelectual.  Abre-se espaço para maior integração entre os membros da comunidade escolar e da família para o desenvolvimento pleno dos indivíduos a partir da integração e ampliação do tempo, espaços e conteúdos.

Mas será que todos os programas de Educação Integral são efetivos para melhorar a qualidade do ensino? A resposta é não. Existem muitas ações que se destinam a elevar o tempo que os estudantes passam na escola e são expostos ao conhecimento. Os diferentes desenhos destes programas estão diretamente relacionados ao potencial que estes têm de impactar o aprendizado.

Resumo das Evidências da Educação Integral

A Fundação Itaú Social revisou a literatura sobre Educação Integral, selecionando estudos das áreas de Educação, Economia, Pedagogia, Sociologia e Ciências Políticas, publicados nos últimos dez anos, em periódicos ou anais de eventos nacionais e internacionais. Para saber mais, clique no link ao final da página.

Texto Alternativo e Descritivo da Imagem: Infográfico composto de um título em azul na parte superior escrito “Evidências da Educação Integral”. Logo abaixo, uma linha ao centro da imagem e na vertical, com 8 bolinhas ao longo dela, como se fosse uma linha do tempo. Ao lado de cada bolinha, uma evidência escrita dentro de retângulos com cores diferentes. A seguir, os textos das 8 evidências: “Diversidade de modelos: diferentes escolhas de Educação Integral possuem potencial distinto para impactar o aprendizado dos estudantes. Intencionalidade Pedagógica: maior êxito para trabalhos focado em aprendizagem e cumprimento de metas e tarefas específicas, baseadas no currículos. Resultados no curto prazo: pouco efeito quando se fala de Educação Integral. Resultados no longo prazo: efeito mais duradouro quando o tempo na escola é produtivo; quando prioriza necessidades específicas de cada aluno; e quando institui-se uma cultura de altas expectativas de aprendizagem e comportamento. Carga horária: existe uma relação curvilínea entre o tempo que se passa na escola (no turno regular) e o ganho de desempenho. O aumento da jornada impacta positivamente o aprendizado, mas a taxas decrescentes. Custo efetividade: políticas de ampliação da jornada tendem a ser custo-efetivas (em relação a outras políticas com potencial semelhante para melhorar o aprendizado). Transbordamento: mesmo os alunos que não participaram diretamente do Programa, foram aparentemente beneficiados com a mudanças. Equitativo: redução da desigualdade de aprendizagem”.

Levantamento da literatura sobre Educação IntegralBaixar arquivo

Veja também

Avaliação Programa Escola Integrada de Belo Horizonte

Deixe um comentário


Comentários (0)

Deixe um comentário