Ir para conteúdo

Biblioteca

Encontro Virtual 4ª edição: Experiências de Avaliação Fundação Eprocad

4ª edição do Encontro Virtual: Experiências de Avaliação da Fundação Eprocad com o tema: Futebol, uma nova visão de jogo.



Parte 4: Principais resultados - Impacto

Parte 4: Principais resultados - Impacto

Ir para a transcrição do vídeo

Transcrição

00:00 a 00:11 (Vinheta de abertura)

Imagem: Vinheta de abertura. Sobre fundo laranja, logomarca do Itaú aparece em primeiro plano à esquerda da tela. Na sequência, aparece a palavra “Social”, em azul escuro, ao lado direito da logomarca do Itaú. Um efeito de animação, faz com que todos os elementos saiam da tela e um fundo com textura de madeira aparece. Sobre ele, aparecem três retângulos em amarelo claro, que lembram aqueles papeizinhos com adesivos para anotações (post-its). Cada retângulo traz um texto diferente. No primeiro, à esquerda, “Quarto Encontro Virtual: Experiências de Avaliação”. No seu lado direito, “Fundação Eprocad: Futebol, uma nova visão do jogo”. Abaixo de ambos os retângulos anteriores, ao centro da tela, o terceiro texto: “Principais Resultados - Impacto, Parte 4”. Os elementos se dissolvem, desaparecendo da tela e aparecendo a imagem da apresentadora.

Áudio: trilha animada com piano e percussão.

00:12 a 6:13 (Clarissa Gondim Teixeira – Fundação Itaú Social)

Imagem: Clarissa Gondim Teixeira, da Fundação Itaú Social, entrevista os convidados Ana Keller, ex-aluna Eprocad (Entrevistada 1) e Rafael Tavares, avaliador e consultor da Fundação Itaú Social (Entrevistado 2).

Áudio Apresentadora: Do que deu certo, quais são os principais resultados?

Áudio Entrevistado 2: Até que teve alguns resultados bem legais, na verdade! O principal que eu acho que é bem conectado, como eu já disse, com o propósito do programa mesmo, que é, de fato, aumentar os níveis de autoestima dos participantes. E autoestima é uma coisa que é até difícil de descrever, porque ela afeta em muitas dimensões as pessoas. Porque, no fundo, é o reconhecimento de si mesmo no mundo. Então, isso tem efeitos para, sei lá, você conseguir socializar, falar em público, lidar bem com eventuais problemas que surjam na sua vida... Então, de fato, foi muito legal ver que esse indicador foi o que mostrou ser o mais importante para a melhora dos participantes. Isso foi uma coisa muito legal. Outra coisa que surgiu foi também: nos níveis de impulsividade, os alunos mais velhos tiveram uma queda. Então, você imagina que um adolescente de 14 e 15 anos está à flor da pele na adolescência e que o programa consegue dar um pouco mais de senso de realidade para eles, trazer um pouco mais eles com o pé no chão... o que é uma coisa bem legal. Uma outra coisa que surgiu e que valida realmente um pouco mais esse resultado de autoestima é que, mesmo comparando com outras organizações do município de Santana de Parnaíba, a Fundação Eprocad se mostrou mais eficaz em trazer esse resultado de autoestima. Então, isso é uma coisa bem legal! Porque, às vezes, a gente imagina que eventualmente é só uma atividade de contraturno escolar que vai gerar uma melhora de autoestima! Mas não! A gente comparou com outras organizações que também fazem atividades de contraturno escolar e, ainda assim, a Eprocad mostrou gerar um resultado em autoestima. Então, isso foi uma coisa bem legal.

Áudio Apresentadora: Porque não é só mais uma atividade, não é? Na verdade, tem uma intencionalidade muito clara nos três tempos. É uma metodologia pensada e que traz essa escala de valores muito forte no dia a dia. Não é um jogo de futebol! É um pensar a convivência em conjunto e, por isso, essa intencionalidade aparece mais nos resultados, o que é um grande reconhecimento para a atividades que vocês fazem também! Como vocês vêm isso, Ana? Como foi o uso desses resultados e o que vocês estão planejando a partir dessa avaliação?

Áudio Entrevistada 1: A gente acredita que a gente está no caminho certo. A avaliação nos mostrou que a gente está no caminho certo. E isso era uma grande inquietação. A gente percebia essa autoestima. A gente percebia essas melhoras nos alunos, mas como mensurar isso dentro do projeto? E aí, a avaliação nos trouxe isso. E que isso é um processo também a longo prazo. O adolescente se torna menos impulsivo durante o processo, porque tem todo esse estabelecimento de que eles têm que ter um diálogo, uma conversa... eles têm que ser o protagonista da atividade... Então, assim, a gente pensa que a gente está no caminho certo e que isso deve ser replicado para outros projetos.

Áudio Apresentadora: Ana, uma última pergunta. Sobre o resultado que o Rafael encontrou de que os alunos que saem no meio do processo, os alunos evadidos, que não é o comportamento padrão... que, normalmente, os alunos ficam muitos anos na Eprocad. Mas, aqueles que saem no meio do processo, eles têm indicadores mais frágeis de autoestima e dentro dessas escalas... O que isso trouxe de informação relevante para o Eprocad? O que vocês estão fazendo sobre este resultado?

Áudio Entrevistada 1: A gente teve até um grande impacto nesse resultado, porque ele foi um resultado um pouco negativo, que ele tem uma autoestima mais baixa. Então, fez a gente repensar muito em todo esse processo. Porque, como a gente faz o acompanhamento dos educandos até quando eles estão no projeto, depois a gente tem um desligamento dele. E, com esses resultados, fez a gente repensar um pouco que a gente tem que ter um acompanhamento pós-projeto. De ter mais atividades que possam estar atraindo eles a fazer toda a fundação. Então, a gente está tentando criar novos projetos para se executar com ex-alunos. E aí, um dos resultados dessa avaliação, a gente começou a fazer processos seletivos com ex-alunos. Com a implantação de novos núcleos, a gente teve novas vagas para monitores e a gente repensou: “através dessa avaliação, por que a gente não pode fazer esse processo com nossos ex-alunos?”. E aí, a gente agora está com 6 ex-educandos dentro do quadro de funcionários da Fundação Eprocad. E o exemplo maior, que é um dos ex-educandos: quando ele saiu da Fundação Eprocad, ele teve um processo bem decadente na sociedade. Ele foi para uso de drogas, saiu um pouco da escola... e agora ele é nosso educando! Ele está com uma autoestima bem mais elevada, parou de usar drogas, casou, tem filhos... Então, isso aí para a gente foi um resultado muito grande! De a gente trazer ex-educandos para o nosso quadro de funcionários. E isso foi um resultado do trabalho da avaliação do Itaú. Fez a gente repensar e dar um olhar a mais para esses ex-educandos!

6:14 ao Fim (Vinheta)

Imagem: Frase ao centro em cor azul: “Assista aos outros blocos”. De fundo, quatro imagens de momentos da entrevista dispostas de forma que forma um mosaico.

Áudio: trilha animada com piano e percussão.