Ir para conteúdo

Biblioteca

Formação de Professores

Encontro temático sobre Formação de Professores realizado com os participantes do CONSED



Formação de Professores - Parte 03

Avaliação de impacto do componente tutoria na formação de professores

Ir para a transcrição do vídeo

Transcrição

00:00 a 00:11 (Vinheta de Abertura com Animação Gráfica)

Imagem: Vinheta com Animação Gráfica. No centro da tela, os dizeres seguintes aparecem gradativamente sobre fundo branco: “Avaliações de impacto: contexto e resultados”. O texto “Avaliações de impacto:” está em laranja e o complemento “contexto e resultados”, em azul escuro. Na sequência, aparece uma seta como se tivesse escrita à mão, na cor laranja, apontando para a direita da tela. Depois, aparece uma nova animação mostrando o país dos Estados Unidos que muda sua cor de cinza para laranja.

Áudio: trilha animada tocada por piano e instrumentos de corda.

00:12 ao Fim (Paula Louzano, Pesquisadora em Política Educacional USP)

Imagem: A pesquisadora em Política Educacional pela USP, Paula Louzano, fala para uma plateia segurando um microfone sem fio.

Áudio: O primeiro, “avaliação de impacto do componente mentoria e/ou tutoria na formação dos professores”. A mentoria consegue ajudar a reduzir a evasão de professores, o pedido de demissão de professores, e melhorar a habilidade dos novos professores, os professores novatos? Então, vamos lá, quais eram as perguntas que os avaliadores que fizeram a avaliação desse programa fizeram? “Como esse resultado se relaciona com a qualidade do mentor?” Ou seja, dependendo do tipo de mentor, funciona? E dependendo do tipo de mentor, não funciona? “O tempo que o professor tem atividade com mentor importa no resultado?” Então, o que eles descobriram: alunos dos professores que passaram mais tempo com o tutor tiveram melhoria no desempenho. Então, claramente o tempo de relacionamento tutor-professor importa. Não é só criar um programa, dar lá meia hora de conversa e achar que vai sair funcionando! Não é. Então, aqui nós estamos falando da qualidade do programa. Quanto mais tempo passa junto, melhor. Outra questão interessante é que, o fato do mentor ter a mesma formação específica que aquele professor com quem ele faz a mentoria não importa tanto. E também, o mentor não é melhor avaliado se ele é da área de especialidade do professor. Mas, o tempo de experiência como professor, experiência naquela escola, e o tempo do trabalho dele naquele sistema educacional acabam influenciando. Na verdade, isto está mostrando pra gente o seguinte: se ele não conhece o contexto da escola... então, o mentor que é daquela escola, ou seja, ele já foi profissional naquela escola, ele conhece a comunidade, ele conhece os professores... e que atende um número grande de professores na mesma escola, aí dá certo. Então, nesse programa de Nova Iorque, que pode não ser o nosso caso, o apoio era menos na disciplina específica e era mais na questão do contexto da escola e na relação com os professores.