Ir para conteúdo

Biblioteca

Como produzir e organizar as informações às necessidades do programa social avaliado.

Paulo de Martino Jannuzzi, secretário de avaliação e gestão da informação do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), detalha estas etapas em sua fala sobre Avaliação de Políticas e Projetos Sociais.

Ir para a transcrição do vídeo

Transcrição

00:00 a 00:18 (Vinheta de abertura)

Imagem: Vinheta de abertura. Sobre fundo branco com leve esfumaçado laranja, surge ao centro da tela, em fonte laranja, o texto: “Como produzir e organizar informações ajustadas às necessidades do programa”. A tela fica toda laranja e aparecem os seguintes dizeres, na cor branca, organizados em uma equação matemática: “Demandas Sociais = Definição de agenda + Diagnóstico + Implementação + Redesenho + Avaliação”. Para cada um dos elementos que compõe essa equação é exibido um trecho da palestra do professor Paulo Jannuzzi, secretário de avaliação e gestão da informação do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Áudio: Trilha animada composta por guitarra e percussão.

00:19 ao Fim (Auditório)

Imagem: Trechos do professor Paulo Jannuzzi, durante um evento. Ele está em cima do palco, fala ao microfone para a plateia.

Áudio sobre Definição de Agenda: Tudo começa, teoricamente, quando determinados problemas e demandas sociais, que são sistematicamente apontados ou percebidos pela população, entram dentro da agenda.

Áudio sobre Diagnóstico: Existe todo um esforço de diagnóstico mais propositivo e mais específico, de pensar as diversas estratégias de equacionamento daquela problemática social. A gente precisa conhecer melhor o nosso público-alvo. No nosso diagnóstico, também é preciso ter uma ideia de capacidade de gestão. Não nos esqueçamos que tudo começa com um bom diagnóstico. Então, a gente precisa nos valer e nos equipar de bons indicadores e boas pesquisas que permitam a gente conhecer melhor o nosso público, sem incorrer no risco daquele tecnocratismo ingênuo de que os dados falam toda a realidade por si.

Áudio sobre Implementação: É preciso implementar o programa. E a implementação de programas, muitas vezes, ela se dá sem que o diagnóstico tenha sido feito em um ambiente perfeito. Porque são oportunidades!

Áudio sobre Redesenho: O redesenho do programa é feito na implementação. Existem muitas melhorias já são feitas na implementação e isso é importante se captar na avaliação, de alguma forma.

Áudio sobre Avaliação: Essa avaliação não pode ser nem muito antes, nem muito depois. Ela tem que ser no tempo certo. Existe então o processo de avaliação, ao final, que, no caso do setor público, o ciclo de planejamento é de quatro em quatro anos. Então, precisa-se fazer uma avaliação mais exaustiva, de quatro em quatro anos, sobre a estratégia de implementação para mitigar esse problema. Então, precisa-se fazer uma avaliação mais exaustiva sobre a estratégia de implementação para mitigar esse problema. “Deu resultado? Se não deu, o que precisa ser aprimorado? O programa precisa ser totalmente remodelado? O programa deve continuar ou não?”. Monitoramento e avaliação são duas atividades que tem que ser entendidas de forma orgânica. A produção de indicadores e pesquisas específicas com alguma regularidade têm que estar no seu plano de avaliação. Ou, é melhor chamá-lo de plano de monitoramento-avaliação de um projeto social. Em cada uma dessas fases, a gente precisa de indicadores, quando disponíveis.