Ir para conteúdo

Biblioteca

Encontro de Avaliadores

Encontro de Avaliadores



Renda familiar e desenvolvimento cognitivo

Encontro de avaliadores com Naercio Menezes Filho (USP, Insper e Fundação Itaú Social)

Ir para a transcrição do vídeo

Transcrição

00:00 a 00:08 (Vinheta de abertura)

Imagem: Vinheta de abertura. No cabeçalho, tarja retangular com degradê da esquerda para a direita, a partir da cor rosa até a cor laranja. No canto superior direito, a logomarca do Itaú Social. No rodapé, ilustrações de uma cidade composta de casas, prédios e árvores, cada elemento com uma tonalidade da cor laranja, ou mais clara ou mais escura. Na parte central da tela, fundo branco com os seguintes dizeres, escritos em azul escuro: “Encontro de Avaliadores”. O texto se dissolve, dando lugar ao texto seguinte: “Renda familiar e desenvolvimento cognitivo”.

Áudio: trilha animada com guitarra e percussão.

00:09 a 02:52 (Naércio Menezes Filho, USP, Insper e Fundação Itaú Social)

Imagem: Naércio Menezes Filho, USP, Insper e Fundação Itaú Social, está em pé, segurando um microfone e apresentando as telas de conteúdo para uma plateia, dentro de uma sala de aula.

Áudio: A criança, em desenvolvimento básico, produz estes números, mostrando que o desenvolvimento do cérebro humano segue algumas vias. E é importante o que acontece em seu primeiro ano de vida. Então, as conexões neurais para diferentes funções se desenvolvem sequencialmente. Assim, as vias sensoriais, como visão e audição, desenvolvem-se nos primeiros meses de vida e depois decaem. Depois, temos as funções da linguagem, as conexões neurais e, posteriormente, as funções cognitivas superiores, como as funções executivas. Então, uma vez perdendo esta oportunidade, é muito difícil adquirir essas funções mais tarde. O que acontece no primeiro ano é realmente importante. E há períodos críticos. Isto também é importante para mim. Assim, o que acontece no primeiro ano pode impactar toda a sua vida. No meu caso, considerei os primeiros meses de vida. Basicamente, eu considerei o salário mínimo, no período de hiperinflação. Então, eu computei taxas diárias de inflação e olhei para o valor real médio do salário mínimo por dia, no primeiro ano de vida das crianças. Então, avaliei o efeito disso nos resultados futuros. Esta é a inflação no Brasil, entre Janeiro de 1991 a 1995. Aqui estão as taxas mensais de inflação no Brasil. Nosso coorte de Pelotas começou aqui em Janeiro de 1993. Então, temos um coorte e acompanhamos 5.000 pessoas nascidas em 1993, em Pelotas. Vou falar sobre os dados agora. Então, essas pessoas nasceram aqui, entre Janeiro e Dezembro de 1993. A inflação aumentou durante este período de 25% até 40%. Então, basicamente, apesar deste alta inflação, o salario mínimo não foi corrigido na mesma proporção. Aqui temos o salário mínimo real diário. Então, observam-se estas grandes mudanças no valor real do salário mínimo dependendo do período do reajuste. Esta é uma importante variação no valor real do salario mínimo. Por isso, eu a usei para identificar os efeitos da renda sobre o desenvolvimento infantil.

2:53 a 2:55 (Cartela)

Imagem: cartela com mesma arte da vinheta de abertura, sendo que, no centro, aparece a palavra escrita em azul: “Metodologia”.

Áudio: trilha animada com guitarra e percussão.

2:56 a 3:14 (Naércio Menezes Filho, USP, Insper e Fundação Itaú Social)

Imagem: Naércio Menezes Filho, USP, Insper e Fundação Itaú Social, está em pé, segurando um microfone e apresentando as telas de conteúdo para uma plateia, dentro de uma sala de aula.

Áudio: Metodologia econométrica. Basicamente, demonstrarei o salario mínimo, considerando o dia de nascimento no mês, com uma abordagem exógena e randomizada. Não precisamos de nenhum controle. Aqui temos dummies mensais para encontrar algum efeito sazonal e outros controles.

3:15 a 3:18 (Cartela)

Imagem: cartela com mesma arte da vinheta de abertura, sendo que, no centro, aparece a palavra escrita em azul: “Resultados”.

Áudio: trilha animada com guitarra e percussão.

3:19 a 5:02 (Naércio Menezes Filho, USP, Insper e Fundação Itaú Social)

Imagem: Naércio Menezes Filho, USP, Insper e Fundação Itaú Social, está em pé, segurando um microfone e apresentando as telas de conteúdo para uma plateia, dentro de uma sala de aula.

Áudio: Este é o salário mínimo médio no primeiro trimestre do primeiro ano de vida. E este é um efeito positivo sobre a educação. Esta é a probabilidade de concluir o ensino médio aos 18 anos, ou seja, com a idade esperada. Estes são o segundo e terceiro trimestres, não estatisticamente significativos. Então, colocamos mais controles e o efeito permanece inalterado. Para a amostra do nível universitário, não há efeitos como se esperaria. Pelo menos o efeito é positivo para os analfabetos. Assim, parece que o valor real médio do salario mínimo no primeiro trimestre de vida impacta os anos de escolaridade, com a probabilidade de concluir o ensino médio. Os efeitos marginais são enormes. Então, se o salário mínimo for de 380 reais, há 6% de chances de concluir o ensino médio aos 18 anos. Se for 420 reais, o índice é de 25%. Ou seja, o efeito é grande. Este é o gráfico. Assim, com uma diferença de 25 reais abaixo a média, as chances são de 5% de concluir o ensino médio aos 18 anos. Com 25 reais acima da média, as chances sobem para 18%. O impacto, portanto, é enorme sobre a probabilidade de concluir o ensino médio. Estes são os anos de escolaridade. Aumenta cerca de 0,8 anos de escolaridade. Os aspectos social e emocional também exercem impacto. Este é o questionário de pontos fortes e dificuldades. Também diminui o índice de problemas sociais e emocionais.

5:03 a 5:06 (Cartela)

Imagem: cartela com mesma arte da vinheta de abertura, sendo que, no centro, aparece a palavra escrita em azul: “Mecanismos”.

Áudio: trilha animada com guitarra e percussão.

5:07 a 6:33 (Naércio Menezes Filho, USP, Insper e Fundação Itaú Social)

Imagem: Naércio Menezes Filho, USP, Insper e Fundação Itaú Social, está em pé, segurando um microfone e apresentando as telas de conteúdo para uma plateia, dentro de uma sala de aula.

Áudio: Também há alguns mecanismos. Perguntam-me o motivo desses efeitos tão fortes no primeiro ano de vida! Por isso, criei uma variável! Uma criança de 11 anos, com uma mãe que sofreu depressão pós-parto. Eu chamo isso de “baby blues”, porque são chamados assim na Inglaterra, quando a mãe entra em depressão depois do nascimento do filho. Isto inclui depressão e outras variáveis. Então, pode-se ver que o salário mínimo médio no primeiro trimestre reduz a probabilidade de doenças depois do nascimento. Esta é a amostra do primeiro ciclo, também com redução. Então, temos este efeito negativo. E, somente para encerrar. Estas são as mães que trabalham e as que não trabalham. Os efeitos são maiores para as mães que não trabalham. Elas ficam em casa com os filhos e não trabalham fora. O pai é o responsável pela renda. Seja o pai empregado ou autônomo, o efeito é maior nos segundo caso. Se a mãe mora com o pai, o efeito é positivo. Enquanto que, para mães solteiras, o efeito é nulo. Então, os efeitos são maiores se a mãe mora com o pai, se o pai é autônomo e a mãe não trabalha fora.

6:34 a Fim (Vinheta de Fechamento)

Imagem: Vinheta de fechamento. Tela retangular com degradê da esquerda para a direita, a partir da cor rosa até a cor laranja. Ao centro, a logomarca do Itaú Social. No rodapé, ilustrações de uma cidade composta de casas, prédios e árvores, cada elemento com uma tonalidade da cor laranja, ou mais clara ou mais escura.

Áudio: trilha animada com guitarra e percussão.