Ir para conteúdo

Biblioteca

Educação Integral - Avaliação e Aprendizados

Palestrante Maína Campos, consultora na área de Avaliação Econômica de Projetos Sociais da Fundação Itaú Social.



Educação Integral – Parte 06

Parte 06

Ir para a transcrição do vídeo

Transcrição

00:00 ao Fim (Maína Celidônio, da Fundação Itaú Social)

Imagem: Pesquisadora Maína Celidônio, da Fundação Itaú Social, em uma sala de aula. Ela está à frente da tela de projeção e dirige-se aos participantes, que estão sentados à mesas em pequenos grupos.

Áudio: Então, como é que eu vou avaliar esse programa? Vou falar um pouquinho mais da metodologia de avaliação pra vocês. Essas escolas, como a gente pode ver, existe uma focalização em vulnerabilidade. Então, o que acontece seu eu comparar as escolas que têm o programa escolas com escolas que não têm o programa? Provavelmente o que eu vou ver? Que as escolas que entram no programa têm um desempenho, provavelmente, pior do que as outras. Porque são escolas com maior vulnerabilidade. Então, qual é na verdade... o que a avaliação tenta? Eu tenho que achar um grupo de comparação adequado para o grupo de escolas que faz parte do programa. O grupo de comparação adequado não é o resto da rede. Porque o resto da rede é potencialmente melhor que essas escolas. Então, a gente criou dois grupos de comparação. O grupo de tratamento é os alunos que participam das escolas que participam. O meu grupo de comparação 1 são os alunos que não participam dentro das escolas que participam. E meu grupo de comparação 2 são alunos de escolas que não participam. E, mesmo com estes dois grupos de comparação, a gente faz técnicas estatísticas para tirar toda diferença da característica das escolas e da característica dos alunos. A ideia é eu tentar fazer um par. Eu vou fazer um par de um aluno que está numa escola, está no programa, com outro aluno que não recebe aquele programa o mais parecido possível. Para eu poder comparar esses alunos e ter uma comparação, vamos dizer, válida. Senão a gente vai comparar um aluno numa área super vulnerável e que tem o programa com um aluno numa área ótima, numa escola super equipada, onde os alunos têm um alto nível de desempenho. Então, a nossa preocupação é fazer uma comparação justa. E isso é muito importante quando vocês veem resultados. Porque, às vezes, as pessoas pegam e fazem comparações muito injustas que normalmente vão contra o seu programa. Porque a gente sabe que o programa, ele é normalmente oferecido primeiro para as escolas com menor IDEB e para as pessoas com alto índice de vulnerabilidade.