A transformação da rotina hospitalar com o Viva e Deixe Viver

19 de Abril de 2017 • Fundação Itaú Social • 1 Comentários

Com páginas recheadas de sonhos e diversão, os voluntários do Viva e Deixe Viver contam histórias para crianças e adolescentes em hospitais de vários estados brasileiros.

O projeto visa contribuir para a humanização do serviço de saúde fazendo com que a rotina das crianças dentro dos hospitais não perca a magia do universo infantil.

Para avaliar o desempenho das ações, pais, voluntários e residentes foram peças fundamentais para coletar informações sobre as crianças atendidas. A fim de estruturar um modelo comparativo, foram considerados dados de pacientes com a mesma faixa-etária, porém que não participavam do projeto. Neste processo de avaliação, o contato, realizado no Hospital Menino Jesus, não foi feito diretamente com as crianças e dois pontos foram analisados: humor e dor.

Entre os resultados, identificou-se um impacto de 30,13 pontos percentuais de diferença entre os pais das crianças atendidas e não-atendidas ao analisar o nível de baixo estresse. Isto significa que o projeto contribui para gerar um menor estresse nos responsáveis. Constatou-se também que a contação de histórias contribuiu para reduzir o número de crianças que adquiriram medo do hospital após a internação.

A avaliação também identificou que, independentemente das ações do projeto, a contação de histórias recebe o apoio dos pais por acreditarem que essas ações podem ajudar no bem estar e recuperação das crianças. Ainda, os pais percebem que o hábito de contar histórias ajuda na aproximação e no relacionamento entre pais e filhos.

Saiba mais sobre o projeto e sua metodologia no link.

Veja também

A construção de grupo de controle para avaliação econômica de projetos sociais: desafios, vantagens e desvantagens
15 Perguntas que podem desafiar gestores na Avaliação de Projetos Sociais
Avaliação relaciona o desempenho escolar e os salários no Brasil

Deixe um comentário


Comentários (1)

Nome Sobrenome Susana de Andrade Schelbli 15 de Maio de 2017

Estou admirada com o projeto. Quero participar trabalhando nele. Como posso fazer?

Deixe um comentário